sem titulo – 071

Explendida capacidade..  libertina burca crapulosa, vaga dada em meu peitoril tolo só elege lábil imã rácio… sábia carga. Volteada terá lógico, goma. Pois  não vou aturar guenza tartaruga,  muitíssimo tolerante mais….

sem titulo – 071

Explendida capacidade..
libertina burca crapulosa,
vaga dada
em meu peitoril tolo
só elege lábil imã rácio
sábia carga.
Volteada terá lógico, goma.
Pois  não vou aturar guenza tartaruga,
muitíssimo tolerante mais….

sem título – 070

também depois espero que outro espectro se materialize um espectro feminino de sagaz inteligêcia vasta cultura notório humor inteligência sem ser chata que dá azia que esteja a altura sem negligência se não chamo a gerência e reclamo e quebro e tudo vai parar na sala de pura emergência Muita exigência Não, nem demência. Só…
Continue lendo »

sem título – 070

também depois

espero que
outro espectro se materialize
um espectro feminino de sagaz inteligêcia
vasta cultura
notório humor
inteligência
sem ser chata
que dá azia
que esteja a altura
sem negligência
se não chamo a gerência
e reclamo e quebro
e tudo vai parar na sala
de pura emergência
Muita exigência
Não, nem demência.
Só a rachadura
aquela escura
que escorre
e corre
não socorre
maldito aquele porre
assim feito
imperfeito
com raro efeito
e alguma ligação
assim
sempre
o provável
renovável
assimétrico
o belo nativo
aquele que evoca
o profundo olhar
o largo sorriso
para que sempre
pense nisso
sempre a serpente
com sua volta
infinita
o ciclo
vicioso
o clip vídeo
que se repete
infinito
princípio
meio
fim
o fim
zé fim
sérafim
fim.

sem título – 069

Breve comentário: Sobre Paulo Coelho: nunca lí. Nem vou ler. Vi tanto imbecil citando e tantos pensantes abominando. Isso basta para não perder meu tempo. Obs: se aplica para Augusto Cury ou, pelo sugestivo número (069), Bruna Surfistinha. perdi a oportunidade de publicar algo mais interessante neste número, deixarei para o 169, que não parece…
Continue lendo »

sem título – 069

Breve comentário:

Sobre Paulo Coelho:

nunca lí.
Nem vou ler.
Vi tanto imbecil citando
e tantos pensantes
abominando.

Isso basta para não perder meu tempo.

Obs: se aplica para Augusto Cury ou,
pelo sugestivo número (069),
Bruna Surfistinha.
perdi a oportunidade de publicar algo mais interessante neste número, deixarei para o 169, que não parece tão interessante assim